segunda-feira, 19 de outubro de 2009

Série - Observatório do Blues - Capítulo 1



Pois é, blueseiros... O Recife Blues, vai vez por outra publicar artigos em série, para ampliar ou apenas confirmar os horizontes de quem vem curtindo ouvir Blues aqui e ali, e mesmo de quem tá numas de montar sua bandinha e começar a fazer suas tocadas pela cidade.

Nesta série Observatório do Blues, vamos expor alguns dos maiores nomes do Blues e algumas curiosidades e expressões da cultura que envolve este estilo musical, em pinceladas rápidas e não necessariamente cronológicas.

Abrindo o nosso Observatório do Blues, um pouco sobre John Lee Hooker.

John Lee Hooker


Muito da linguagem sonora entendida hoje em dia como sendo Blues vem do estilo carismático do bluesman de Detroit John Lee Hooker, o rei do Boogie.

"Opá! ié? E esse trem de Boogie, quer dizer o que?"

Boogie quer dizer meleca de nariz, catota se preferir, mas também em gíria quer dizer saracotear, ir para a gréia, visitar a esbórnea, raparigar, enfim... Como queira definir.

Na música, a expressão Boogie que existe sempre ligada a estilos musicais de black music tais como Funk, Disco, e claro, Blues, quer dizer nada mais nada menos que música de festa, música dançante e alegre, com ritmos hipnóticos, que geralmente não está nada conectada a letras poéticas, nem a grandes arranjos harmônicos, mas principalmente à vontade que dá de sorrir e se divertir ao se ouvir o contexto geral da coisa.

Se fosse no Brasil, Boogie Music poderia muito bem ser coisas como o Funk Carioca ou os sambas de Kid Morangueira, os forrós de Genival Lacerda.

Especificamente no Blues, John Lee Hooker pode ser chamado "o pai do Boogie" de guitarra elétrica, com um som caracterizado por uma guitarra bastante ritmica, que dá vontade de dançar, com poucos solos e muitas letras maliciosas, frases vocais sonoras e cheias de gírias e malandragem como Boom Boom, e Boogie Chillun.

O estilo vocal de John Lee Hooker se tornou uma espécie de standard do estilo, com seu timbre grave, meio falado, contando histórias e sem seguir convenções métricas.

O Bluesman foi um dos pioneiros na linha atualmente conhecida como Chicago, que surgiu com a migração da moçada sulista (região do Mississippi) atrás dos empregos nos centros industriais, principalmente para Detroit e Chicago, e se caracteriza pela eletrificação do Blues tradicional, que era tocado de forma acústica no Delta do Mississippi - o que era um caminho natural pela necessidade ou interesse de tocar em bares, e pela existência dos recursos financeiros para isto, num cenário de cidade grande, big city blues.

Pra saber mais de John Lee Hooker, pode ser uma boa idéia visitar http://www.johnleehooker.com/, e também baixar alguns de seus CDs por aí pela net.

No cinema, John Lee Hooker participou no filme The Blues Brothers (1980, John Landis), e em algumas trilhas sonoras, como no filme The Hot Spot (1990, Dennis Hooper).

Segue aí, sua participação no Blues Brothers... Comprem o filme em DVD que é vendido baratinho nos grandes magazines, hoje em dia.

Um comentário:

  1. Caraca, PARABÉNS pela iniciativa.
    O Observatório com suas informações é tão atrativo e completo que eu li no meio do trabalho e to vendo os vídeos escondidos.
    hehe

    Marcelo Moreira.

    ResponderExcluir