sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Midnight Man Blues no Burburinho este Sábado


Neste Sábado,. 28 de Novembro, os blueseiros que curtem o Texas Blues da Midnight Man Blues, vão poder curtir um showzinho surpresa lá no Burburinho, incluindo aqueles bons clássicos de Steve Ray Vaughan, além de Jimmy Hendrix e devidas consequências musicais.

E no Domingo, 29 de Novembro, pra quem for mais desencanado e topar sacar o que a moçada mais nova anda aprontando pelos undergrounds do Blues, a galera da Os Bons Pessimistas Blues Band faz show gratuito na Praia de Venda Grande (Candeias, em frente ao Du'Maranhão) à tarde, dentro da festa Solar de Domingo, junto com outras bandas da região (de outros estilos) - pra curtir de bermuda e chinelão, com uma gelada à beira mar.

Bora chegar junto.

Serviço:

Midnight Man Blues
Local: Bar Burburinho
Dia/Hora: 28 de Novembro/Sábado, 22:00hs
Endereço: Rua Tomazina 106
Entrada: R$5,00

Os Bons Pessimistas (e outras)
Local: Praia da Venda Grande (Candeias)
Dia/Hora: 29 de Novembro/Domingo,a partir das 15:00hs
Endereço: Av Bernardo Vieira de Melo, em frente ao Du' Maranhão
Entrada: Grátis

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Jazz Porto 2009 e mais...



Nesta semana, além da costumeira programação de Blues em RecifePorto de Galinhas vai ferver com o festival Jazz Porto 2009, com atrações bem bacanas de Jazz e Blues. A maioria dos shows é gratuita e em praça pública. Compensa a viagem.

Participam da festa gente como Big Joe Manfra, Danny Vincent, Flávio Guimarães e Stanley Jordan.

Abaixo, tudo o que vai rolar em Porto e em Recife:

Esta é a programação do Jazz Porto:


Dia 26 de Novembro, Quinta:
19:00hs  Taryn Spilman e Banda no Restaurante TragaLuz
21:00hs  Contrabanda (PE) na Praça das Piscinas Naturais
22:00hs  Flávio Guimarães (RJ) na Praça das Piscinas Naturais
    Dia 27 de Novembro, Sexta:
    21:00hs  Trombonada (PE)
    22:00hs  Big Joe Manfra (RJ) e Danny Vincent (ARG)
      Dia 28 de Novembro, Sábado:
      19:00hs  Street Jazz Band (PE)
      21:00hs  Uptown Band (PE)
      22:00hs  Stanley Jordan (USA)

        Programação de Blues nesta semana em Recife:


        Billy Branch, Carlos Johnson e Uptown Band (veja post abaixo)
        Festa de encerramento do festival Oi Blues By Night.
        Local: Spirit Music Hall
        Dia/Hora: 25 de Novembro/Quarta, 22:00hs
        Endereço: Rua do Futuro, Graças
        Entrada: R$30,00


        Black Cat Bone no Banquete
        Blues acústico massa, com clássicos do Delta e versões de músicas em português.
        Local: Bar Banquete
        Dia/Hora: 25 de Novembro/Quarta, 19:30hs
        Endereço: Rua do Lima, (quase em frente à TV Jornal)
        Entrada: Por enquanto, não tem couvert



        El Mocambro no Burburinho
        A banda segue sua temporada às sextas do bar mais blueseiro da cidade!
        Local: Bar Burburinho
        Dia/Hora: 27 de Novembro, Sexta/22:00hs
        Endereço: Rua Tomazina 106, Recife Antigo
        Entrada: R$5,00

        Bora chegar junto que vai ser massa!

        Resultado - Ingressos para Oi Blues no Spirit



        Bora Blueseiros! Aqui vão os sorteados ganhadores dos pares de ingressos para o show de Billy Branch, Carlos Johnson e Uptown Band, que rola nesta Quarta-Feira, 25 de Novembro, lá no Spirit Music Hall, na Rua do Futuro.

        • Bruna Sabino
        • Hangrel
        • Marcio Carvalho
        Estamos mandando um email pra vocês, apenas para ter certeza de que serão avisados.

        Seus nomes estarão na portaria, identifiquem-se como convidados do site/blog Bacurau/Recife Blues.

        Cada ganhador leva um par de ingressos, então levem seus acompanhantes.


        Nos vemos por lá!

        quinta-feira, 19 de novembro de 2009

        Promoção - Billy Branch e Carlos Johnson no Oi Blues



        E tome Blues na nossa cidade, véio! Na Quarta-Feira, dia 25 de Novembro, o Festival Oi Blues By Night encerra sua temporada 2009 com o melhor show de Blues do ano, trazendo a banda completa de Billy Branch (gaita) e Carlos Johnson (guitarra) para tocar na Spirit.

        Quer ganhar ingressos pra curtir de graça este showzaço??? Leia o texto abaixo, e responda à pergunta no final, enviando um comentário.

        Billy Branch, nascido em Chicago, mas crescido em Los Angeles, veio se conectar de cabeça ao Blues já adulto e formado em ciências políticas, quando voltou a Chicago, e passando a frequentar os clubs locais se encantou com os grandes mestres da cena da cidade.  Em não muito tempo já estava tocando como aprendiz na banda de Willie Dixon, e veio a assumir o posto de gaitista oficial ao lado do mestre por mais de seis anos.

        Biilly montou sua banda Sons Of The Blues (S.O.B.) juntando apenas filhos de grandes blueseiros de Chicago. A banda original contava com Lurrie Bell, Freddie Dixon e Garland Whiteside, e com esta formação excursionou pela Europa, e gravou um CD de sessions ao vivo em Chicago que chegou a ganhar o prêmio Grammy..

        Provavelmente, por causa de sua formação como cientista político, Billy Branch se engajou com o governo em Chicago, criando o projeto Blues In The Schools, no qual ensina a tradição, história e gaita de Blues para os estudantes do sistema público de ensino local, já há mais de 20 anos.

        Para o Oi Blues by Night, Billy traz Carlos Johnson na guitarra e vocais, um dos mais respeitados gutarristas de blues elétrico da "nova escola", o tipo do cara que vai dar um show à parte nesta noite na Spirit. Carlos já tocou com Junior Wells, Koko Taylor, Otis Rush, Son Seals, Carey Bell, Buddy Guy, entre outros tantos.

        Carlos Johnson é canhoto, e mistura a pegada tradicional e crua da guitarra do Chicago Blues, com pitadas de funk, jazz e country, por vezes lembrando uma mistura da face mais roots de Steve Ray Vaughan com Muddy Waters.

        Na abertura do show, a Uptown Band manda um repertório de clássicos do Blues, com participação do argentino Adrian Flores na bateria e canja de Rico Bluestamontes.

        A organização do evento disponibilizou 3 pares de convites para distribuirmos entre os amigos do Recife Blues e Bacurau. Quer ganhar um par pra chegar por lá de graça e ainda levar um amigo arregueiro?

        Essa tá fácil, fácil... Deixe um comentário aí em baixo, contendo seu email (para entrarmos em contato) e a resposta para a seguinte pergunta:

        "A antiga banda Sons Of The Blues, de Billy Branch, contava com um integrante que era filho de Willie Dixon (descrito neste texto, leia com atenção). Qual o nome dele?".

        Os ingressos serão sorteados entre aqueles que responderem corretamente, e o resultado será publicado aqui no blog na Terça-Feira.


        PROMOÇÃO ENCERRADA EM 23/11 - RESULTADO NO POST ACIMA.


        E ATENÇÃO! PARA PARTICIPAR É PRECISO ESTAR CADASTRADO para receber o Recife Blues via email. Caso você ainda não esteja, basta, se inscrever e confirmar seu email através daquela caixinha amarela no alto direito do blog.


        A sorte está lançada!


        Abaixo, um antigo video de Billy Branch com uma das formações de seu S.O.B.

        Serviço:

        Local: Spirit Music Hall
        Dia/Hora: 25 de Novembro/Quarta, 22:00hs
        Endereço: Rua do Futuro, Graças
        Entrada: R$30,00

        terça-feira, 17 de novembro de 2009

        Semana Blues em Recife



        Bora blueseiros de plantão! Essa semana, como sempre rola Blues pela cidade, com a moçada que faz a cena nos bares mais antenados na música do Mississippi. A novidade é o Blues acústico da Black Cat Bone, que agora tem dia fixo no happy hour do bar Banquete, contando com Marcelo Demo (ex-Bluestamontes, Dodge Band) e Bruno (Cafo Blues).

        Black Cat Bone no Banquete


        Blues acústico da melhor qualidade, com clássicos do Delta e versões de músicas em português.

        Serviço:

        Local: Bar Banquete
        Dia/Hora: 18 de Novembro/Quarta, 19:30hs
        Endereço: Rua do Lima, (quase em frente à TV Jornal)
        Entrada: Por enquanto, não tem couvert

        El Mocambro no Burburinho

        A banda segue sua temporada às sextas do bar mais blueseiro da cidade!

        Serviço:

        Local: Bar Burburinho
        Dia/Hora: 20 de Novembro, Sexta/22:00hs
        Endereço: Rua Tomazina 106, Recife Antigo
        Entrada: R$5,00

        sexta-feira, 13 de novembro de 2009

        Série - Observatório do Blues - Capítulo 3



        Nesta série Observatório do Blues, vamos expor alguns dos maiores nomes do Blues e algumas curiosidades e expressões da cultura que envolve este estilo musical, em pinceladas rápidas e não necessariamente cronológicas.

        Para ver os outros da série e ir acompanhando, basta clicar na tag (marcador) Observatório do Blues, ao final deste post.

        Steve Ray Vaughan


        Nos anos 80, quem não estava ouvindo os hits do revigorado cenário pop da época, estava se embrenhando pelos universos paralelos do recém-surgido fenômeno das tribos underground.

        Existiam os Punks, os Metaleiros, o pessoal do Fusion, da New Wave, e tantas outras facções que começavam a surgir em mercados independentes entre aqueles que se renegavam a se misturar à forte retomada dos valores consumistas (pós-anos-70) e caretas que se empunham com a vinda da cultura de MTV, o surgimento da AIDS, o bom momento econômico nos USA.

        A soberana música pop começava a ser dominada por grandes músicos dos anos 70 que estavam ajustando seus estilos às novas exigências de padrão do mercado fonográfico (Elton John, Tina Turner, Michael Jackson, David Bowie).

        No circuito underground, o então promissor mercado do Heavy Metal começava a render frutos de boa importância comercial que se contrapunham ao mercado Pop que naquele momento renegava as seções instrumentais de suas músicas.

        É neste contexto de grande efervecência multi-cultural que se erguia na multidão a figura do Guitar-Hero (não é o videogame, babes).

        Ainda inspirados em ícones como Jimmy Hendrix e Frank Zappa, os adolescentes dos anos 80 que decidiam estudar guitarra ou qualquer outro instrumento ligado ao rock começavam a copiar e difundir entre si fitas VHS de shows de guitarristas virtuosos como Ed Van Halen (banda Van Halen) e Yngwie Malmsteen, que logo depois trouxeram à tona Steve Vai, Joe Satriani e, no blues, Steve Ray Vaughan.

        Estes caras simbolizavam o antídoto ao pop azedo da época.

        Paradoxalmente, este mesmo pop azedo, buscando por elos de ligação com esta comunidade underground que começava a interessar comercialmente às grandes gravadoras, foi o responsável pelo turbinamento da carreira comercial destes grandes guitarristas.

        Se John Lyndon (ex-Sex Pistols) contratou Steve Vai para tocar guitarra em seu projeto PIL e Michael Jackson contratou Ed Van Halen para tocar em Thriller, o mais antenado dos criadores pop dos anos 80, Mr David Bowie, lançava para o mundo inteiro em seu LP mais vendido, Let's Dance, um jovem fenômeno da guitarra do Texas, Steve Ray Vaughan.

        Steve Ray Vaughan já tinha algum sucesso em Austin, Texas, dentro do circuito de bares e rádios especializadas, desde o final dos anos 70.

        Por lá, começou tocando baixo na banda do irmão guitarrista Jimmy Vaughan e em seguida se juntou a uma cozinha de baixo e bateria formada pelos impecáveis Chris Layton (bateria) e Tommy Shannon (baixo), o Double Trouble.

        Em 1983, ainda na era pós The Blues Brothers (o filme), com a comunidade musical antenada no que o Blues pudesse produzir de interessante, o LP Texas Flood (Steve Ray Vaughan and The Double Trouble) chegou aos quatro cantos do mundo pela Epic/CBS, com boa expressividade em vendas, e emplacando o quase hit Pride and Joy entre os 20 mais tocados em rádios especializadas nos Estados Unidos.

        No Brasil, a rede de lojas de discos paulista Museu do Disco, vendia uma tiragem exclusiva de Texas Flood, entre outros quitutes musicais, em sua seção dos fundos, direcionada a audiófilos.

        As primeiras fitas VHS de Steve Ray Vaughan começaram a surgir também em cópias piratas nas famosas Galerias do Rock no centro paulista.

        Steve Ray Vaughan era a voz do blues dentro de todo este cenário que descrevi.

        Era o cara certo, com a habilidade necessária para peitar os "Yngwie Malmsteens", e manter o interesse desta nova e nervosa geração também pelo Blues, e ainda era bom cantor, bom compositor, carismático no palco.

        Sem a existência de um SRV, naquele cenário, o Blues mais uma vez poderia cair no ostracismo.

        O maior diferencial de SRV em relação aos outros Guitar-Heroes, diziam os fãs, era que ele elevava o virtuosismo da guitarra a um novo plano, trazendo, além da esperada técnica e rapidez nos dedos, muito sentimento e musicalidade.

        Além disto, Steve Ray Vaughan trouxe para a guitarra de rock novos elementos pouco comuns para o estilo. Em sua guitarra, por exemplo, utilizava cordas muito mais grossas que as utilizadas pelos rapidinhos do Fusion e Heavy Metal (espessuras de 0.14 a 0.18), o que o forçava a utilizar uma afinação meio tom abaixo da usual (para relaxar um pouco a tensão das cordas da guitarra, e permitindo que ainda pudesse utilizar bends e outros recursos do blues).

        Aqueles que já tocaram guitarra sabem que quanto maior a espessura da corda, maior a dificuldade de se ter rapidez e flexibilidade nos solos. Contudo, cordas mais grossas geram timbres mais encorpados, e timbre era mais uma das maiores qualidades das guitarras de Stevie Ray Vaughan.

        Por causa de sua pegada semelhante à de ícones do Classic Rock e Heavy Metal (Jimmy Hendrix, Ed Van Halen, por exemplo), Steve Ray Vaughan muitas vezes é rejeitado pelos ouvintes do Blues como um representante do estilo.

        Mas verdade seja dita, sua técnica que misturava o Blues a escalas e ritmos do Country (o chamado estilo Texas) e as inseria num contexto quase rock de imensa contemporaneidade foi uma imensa inovação para o Blues como música e como mercado. Isto dito sobre uma música mestiça como é o Blues, que surgiu da conjunção de culturas negras, brancas e índias, nada mais é do que uma prova de que o Blues continua vivo e evoluindo, assim como o Rock e o Pop.

        Graças a Stevie Ray Vaughan, o mundo passou a ter ainda mais interesse por músicos como Eric Clapton, Robert Cray, Jeff Healey, George Thorogood, todos blueseiros pouco apegados às raízes do Delta Blues, mas responsáveis pela manutenção deste legado.

        Infelizmente, perdemos Steve Ray Vaughan em um trágico acidente de helicóptero em 1990, mas seu legado está vivo em milhares de guitarristas em todo o mundo, que o buscam ainda como referência principal quando o assunto é blues contemporâneo.

        *Abaixo, Steve Ray Vaughan toca no clássico China Girl de David Bowie, música que lançou sua guitarra nos circuitos FM da época (existem versões extended circulando por aí, com os solos completos de SRV).

        *Para aqueles que curtem estas curiosidades, circulam pelos Youtubes e Emules da net gravações bootlegs dos ensaios da turnê de David Bowie com SRV (que nunca aconteceu nos palcos, pois com o sucesso inesperado de Pride and Joy nas rádios na mesma época dos ensaios, o guitarrista abandonou o projeto para se dedicar à sua carreira solo). Também, vale a pena reouvir o CD Let's Dance de David Bowie, repleto de boas sacadas de SRV, ainda que dentro dos limites do pop.

        * Para encontrar referências usuais de SRV em sua carreira com a Double Trouble, não existem dificuldades, pelos mesmos canais)

        segunda-feira, 9 de novembro de 2009

        Lançamento do Recife Blues - Você foi?



        Pois é, comunidade blueseira! Fizemos uma festa bonita nesta última sexta lá no primeiro andar do Bar Burburinho, com shows de altíssimo nível de todos os participantes (Ladystock, Bluestamontes & Neil Arnold, Recife Blues Band), e o público que chegou junto foi bastante satisfatório para uma noite repleta de eventos pela cidade, dando pra sentir o calor humano da moçada chegando no palco.

        Parabéns a todos os músicos da cena recifense que toparam se juntar numa das mais legais confraternizações de que temos notícia em nossa comunidade de blues lovers.

        Foi bonito de ver a junção da moçada da Uptown Band (Giovanni Papaleo, Thomaz, Gina, Adriana) com Rodrigo Morcego (da El Mocambo), Bluestamontes (Magno Lima, Rico Bluestamontes), Guto Santana, e mais Giuseppe da Ladystock, Renato Deák (Jake Leg) e Flavão (Midnight Man).

        A jam da Recife Blues Band foi uma imensa demonstração de cavalheirismo e boa vontade para a união de nossa cena blueseira e aponta para um futuro promissor, com menos diferenças entre as várias cenas e ainda mais reconhecimento mútuo.

        Para deixar a noite ainda mais interessante, tivemos a boa surpresa de ver Alexandre Santiago (ex-Morango Jungle) detonando no palco da parte térrea do bar, substituindo excepcionalmente Rodrigo Morcego junto à cozinha da El Mocambo, pra não deixar a música parar.

        Noite Blueseira do mais alto nível.

        Taí o primeiro videozinho que conseguimos da noitada. Quem tiver mais fotos e videos que queira compartilhar com a gente, é só dar aquele toque por comentário, ou enviar para recifeblues (arroba) bacurau.com.br .

        Que venham mais encontros como este!

        * Aí embaixo, o show que abriu a noite, com Ladystock, em video enviado pela moçada (essa tá com a imagem e som legais)

        quinta-feira, 5 de novembro de 2009

        Semana de Blues em Recife




        E Recife não para de ter Blues! O final de semana tem opções pra curtir até dizer chega. E na Sexta, tem a primeira festinha do Recife Blues, esperando contar com a presença de vossas senhorias blueseiras da cidade.


        Esta semana tem Blues:


        Derico (do Jô) e Jambalaya Blues Band no Manhattan


        Na Quinta-Feira, 5 de Novembro, o Manhattan, ali em Boa Viagem, Recebe Derico mandando seu show acompanhado da banda recifense Jambalaya Blues Band.


        Serviço:


        Local: Manhattan
        Dia/Hora: 5 de Novembro/22:00hs
        Endereço: Rua Francisco da Cunha 881 - Boa Viagem


        Lançamento Oficial do Recife Blues

        Noite que unirá os mais atuantes músicos da cena Blues de Recife, lá no promeiro andar do Burburinho, com Bluestamontes & Neil Arnold, Ladystock, Jam Session com Rodrigo Morcego + Bluestamontes + Giovanni Papaleo, El Mocambo.

        Serviço:

        Local: Bar Burburinho
        Dia/Hora: 6 de Novembro, Sexta/21:00hs
        Endereço: Rua Tomazina 106, Recife Antigo
        Entrada: R$5,00

        Bluestamontes & Neil Arnold (2)

        No Sábado, dia 7 de Novembro, Bluestamontes & Neil Arnold voltam ao palco do Burburinho, desta vez na parte de baixo (bar), para um show mais logo, e com abertura de Ladystock.

        Serviço:

        Local: Bar Burburinho
        Dia/Hora: 7 de Novembro, Sexta/22:00hs
        Endereço: Rua Tomazina 106, Recife Antigo
        Entrada: R$5,00

        terça-feira, 3 de novembro de 2009

        Recife Blues nesta Sexta-Feira no Burburinho



        Caros entusiastas do Blues de Recife, se você gostaria de fazer alguma coisa para tornar a nossa cena um pouquinho mais forte na cidade, esta é a hora!

        Nesta Sexta-Feira, 6 de Novembro, no primeiro andar do Burburinho, dentro do prjeto Esse É o Som do Recife, faremos o lançamento oficial do Blog Recife Blues, juntando uma boa parte dos músicos que compõem esta cena, e convidando aqueles que quiserem se chegar.

        O Recife Blues convoca toda a moçada a chegar junto, e ajudar a divulgar, enviando este flyer aí em cima para seus contatos por email, Orkut, Facebook, Twitter! (para pegar o flyer em tamanho maior, clique na imagem)

        E aí? Bora?

        A noite começa com Ladystock tocando bem cedinho, antes das 10, portanto cheguem cedo, porque a menina canta pra ferver mesmo! Depois, rola show de Bluestamontes & Neil Arnold, com Guto Santana na Gaita.

        A apresentação seguinte, será uma Jam Session com Giovanni Papaleo + Rodrigo Morcego + Bluestamontes e mais um montão de amigos da cena, e anoite continua com El Mocambo.

        Serviço:

        Local: Bar Burburinho, primeiro andar.
        Dia/Hora: 6 de Novembro/21:00hs
        Endereço: Rua Tomazina 106.
        Entrada: R$5,00

        domingo, 1 de novembro de 2009

        Bluestamontes na Oficina Brennand



        Nesta Terça-Feira, dia 3 de Novembro, durante o Colóquio de Estudos Literários da moçada da UFPE que vai rolar no Auditório da Oficina Brennand pela manhã, a Bluestamontes faz uma apresentação especial com clássicos de slide guitar, contando com Guto Santana na gaita, Cobaia na slide guitar Les Paul, Magno Lima no baixo, André Lira na bateria e Rico Bluestamontes nos vocais.

        O show rola por volta da 11:00hs, logo depois das palestras.

        Serviço:

        Local: Auditório da Oficina Brennand
        Dia/Hora: 3 de Novembro/por volta das 11:00hs da manhã
        Endereço: Oficina Brennand, Curado.
        Entrada: Grátis