segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

Série - Observatório do Blues - Capítulo 4



Nesta série Observatório do Blues, vamos expor alguns dos maiores nomes do Blues e algumas curiosidades e expressões da cultura que envolve este estilo musical, em pinceladas rápidas e não necessariamente cronológicas.

Para ver os outros da série e ir acompanhando, basta clicar na tag (marcador) Observatório do Blues, ao final deste post.

Howlin' Wolf 

Imagine um bluesman com 1,98 mts de altura mais de 130 quilos, e uma voz de trovão cuja potência era comparada na época ao barulho de máquinas industriais pesadas em Chicago.

A presença carismática do guitarrista, gaitista e vocalista Howling Wolf em palco tinha algo de arrebatador. Dizia-se que era capaz de incendiar platéias e aterrorizar seus contratantes, com performances vocais em alto volume apenas comparáveis ao que viemos conhecer como Hard-Rock ou Heavy Metal.

Dizia-se? Não é difícil constatar isto pelos videos facilmente encontrados no Youtube.


Howlin' Wolf nasceu e iniciou sua bem sucedida carreira no Mississippi, mas se mudou para Chicago em busca de uma carreira mais promissora dentro do Blues-Elétrico.

Não seria nenhuma surpresa se eu te dissesse que o cara foi não apenas um dos mais influentes bluesmen de sua geração (juntamente com seu "rival" Muddy Waters), mas também sem dúvidas uma das maiores referências vocais no surgimento do Rock'n'Roll.

Apesar de pouco conhecido dos brasileiros, não é difícil entender sua influência em tudo o que ouvimos de melhor do Rock, se considerarmos que ele era ídolo máximo de gente como Rolling Stones, The Doors, Led Zeppelin.

Foi contratado da Chess Records, e isto ajudou recentemente no aumento de sua popularidade entre os novos fãs de blues, graças à citação de seu nome em algumas cenas do filme Cadillac Records interpretado, sem a convicção necessária, por Eamonn Walker.

Na verdade, muitas das canções que conhecemos com bandas da melhor safra dos melhores anos do Rock são de fato regravações de músicas que ele gravou e eternizou.

E neste caso em especial, uma lista como a que encontramos no Wikipedia com as músicas de Howlin' Wolf regravadas por grandes bandas (que ainda é uma lista bastante vaga) poderá lhe dar um panorama maior, e abrir mais seus horizontes do que um texto de mil palavras.

Se liga na lista parcial, e comece a cavar seus MP3 pela net e pelos CDs dos amigos, para entrar no universo de Howling Wolf, com destaque para "Backdoor Man", re-eternizada por The Doors:

É interessante notar, até mesmo pela lista acima, que ao contrário do que vimos em outros estilos de Blues, que evoluíram e sobreviveram dentro do próprio espaço mercadológico do Blues, buscando um maior refinamento a cada geração, a pegada e o estilo do Screamming Blues cantado e interpretado intensamente por Howling Wolf praticamente se incorporou ao rock, gerando e infuenciando toda uma geração de Pub-Rock rock inglês ao final dos anos 70, e vindo a ser talvez a maior influência incosciente do Punk-Rock londrino.

Aliás, a relação de Howlin' Wolf com o rock inglês é bastante clara. Pode-se encontrar facilmente na Internet o famoso video da TV inglesa em que Howlin' Wolf se apresenta como convidado dos Rolling Stones. Reza a lenda que os Rolling Stones tiveram de chantagear a TV, ameaçando não se apresentar caso não incluíssem a participação de Wolf.

A forma de cantar popularizada no Reino Unido por Mick Jagger nada mais é do que uma "homenagem" à forma como Howlin' Wolf cantava (basta ouvir as primeiras gravações dos Stones ao lado das de Wolf para não se ter mais dúvidas).

Em 1970, ainda a convite da Chess Records, Howlin' Wolf grava um álbum em Londres, o Howlin' Wolf's London Sessions, com uma banda formada por Eric Clapton, Steve Winwood, Ian Stewart, Bill Wymann, Charlie Watts.

Fora o aspecto musical, Howlin' Wolf se sobressaiu na cena Blues de sua época por ser um dos poucos que, apesar de cantar sobre a vida dura e pobre, soube administrar muito bem o dinheiro que ganhou, e sempre teve uma vida financeiramente estável, não se envolvendo com álcool e drogas, sendo um dos únicos artistas no gênero que podia manter uma banda contratada com os melhores músicos possíveis, com salário fixo e benefícios trabalhistas.

E como ele mesmo dizia, foi um dos poucos bluesmen nascidos no Mississippi que migrou para Chicago dirigindo seu próprio carro, e chegou por lá com uma boa quantia em dinheiro no bolso.

Morreu em 1976 após vários ataques cardíacos e problemas renais.

Com vocês, Backdoor Man, por Howlin' Wolf, em 1970, já sem o mesmo vigor da juventude e debilitado, mas ainda assim, emocionante:

Nenhum comentário:

Postar um comentário