quarta-feira, 2 de junho de 2010

Discoteca do Blues por Bruno Cafo Blues


Na seção Discoteca do Blues, o Recife Blues anda perguntando aos músicos de Blues de Recife "Que álbum de Blues você indica pra a gente dar uma ouvida?"

Quem responde desta vez é Bruno CafoBlues, guitarrista que já toca na cena Blues recifense desde 2006, inicialmente com a banda Pé na Estrada, e atualmente como membro da veterana Black Cat Bone. Bruno atualmente está apostando em seu novo projeto Hoochie Coochie Band, e costuma dar canjas com Má Companhia e jams frequentes com Beto Kaiser.

Recife Blues: E aí, Bruno, o que você indica pra a gente ouvir, cara?

Bruno CafoBlues: Minha indicação de disco é o "recheado" Stone Crazy de 1981 do Mestre Buddy Guy.
Como diz John Lee Hooker, "fui atingido por uma bomba quando o descobri". Apesar de ter, à época, já descoberto alguns outros álbuns do Buddy Guy, este contém uma magia gritante, inovadora e perspicaz do nosso garoto da Louisiana (EUA). Os timbres, o minimalismo tipicamente puro e as linhas buscadas por Guy no disco são de uma pegada estonteante, maravilhada pela voz em falsete. Não há como destacar faixas, o disco é objetivo. Contendo "apenas" 6 músicas totalmente ensurdecedoramente belas, ele caminha do "slow" ao seu típico "Buddy-Booggie-Shuffle-Funk".

O disco se inicia com o grito de seus dedos totalmente transitórios e precisos e termina da mesma maneira, sem tempo para dar uma respirada sequer. Dizer que o disco é uma "aula" para músicos ou apreciadores é pouco... Stone Crazy de 1981 é uma "Obra-Prima" voltada paa quem além de amar o Blues na vertente que seja, considera a questão de tentar compreendê-lo e senti-lo através do que é possível e capaz o conhecimento humano


Buddy Guy - Stone Crazy (1981) - Álbum gravado pela Alligator Records, com uma banda formada por Buddy Guy (vocais e guitarras), Phil Guy (guitarras), J.W. Williams (baixo) e Ray Allison (bateria), que é considerado um marco na definição do Blues moderno, por destilar em definitivo e claramente o estilo de Guy, marcado por suas guitarras funkeadas e vocais viscerais, que já haveriam sido influência principal na forja do estilo de gente como Hendrix e Vaughan.

Você pode ouvir partes deste álbum na CD Universe.

Nenhum comentário:

Postar um comentário