segunda-feira, 1 de agosto de 2011

O Sucesso das Jam Sessions


Quando em Abril de 2010 o site Recife Blues anunciou o lançamento de uma jam session fixa que aconteceria toda Segunda-Feira à noite, pouca gente imaginou a proporção que isto tomaria.

A jam denominada Recife Blues Sessions aconteceu por duas edições no Bar Casa da Moeda, e logo depois se mudou em definitivo para o CARAVELA'S na Rua do Bom jesus, no Recife Antigo.

A banda anfitriã era originalmente formada por Rico Bluestamontes (idealizador do evento), Alexandre Santiago, Fred Monier e Márcio Menezes. Alguns meses depois, Rodrigo Morcego assumiu a segunda guitarra, e logo após, com a saída de Alexandre Santiago do projeto, o tecladista Gustavo Albuquerque veio se juntar à banda.

O público que chegava tímido nas primeiras edições, logo cresceu a ponto de, por regra, lotar a Rua Bom Jesus toda segunda-feira, quer esteja chovendo ou seja noite de lua.

O Recife Blues Sessions, se não foi a primeira jam session semanal da cidade, foi a primeira a dar abertura total, de forma organizada e democrática, para que qualquer músico presente, fosse ele amigo ou não de algum músico da banda anfitriã, pudesse participar, testar ou mostrar seu talento.

O diferencial, claro, estava na existência de um quadro negro e giz, para que qualquer um pudesse se inscrever e participar.

Graças à popularidade do Recife Blues Sessions, muitos outros bares atentaram para a possibilidade de receber um bom público com eventos de Blues, e pelo menos outras duas jam sessions de mesma importância surgiram na cidade, cada uma com características diferentes.

Primeiro, veio a Handmade Blues, um duo de Blues acústico formado por Marcelo Demo e Kco (Caco), que já costumavam abrir espaço para participações de amigos quando tocavam originalmente às quintas no restaurante Banquete, na rua do Lima, em frente à TV Jornal.

Há pouco menos de 1 ano, o show da Handmade Blues mudou para os Sábados no mesmo restaurante Banquete, cresceu em audiência, passando a incorporar o público que já circulava pelo final de semana da "rua dos descolados", e se transformou cada vez mais numa grande jam session, contando com inúmeras participações de amigos dos já velhacos da cena, Demo e Kaco, que em sua trajetória por projetos como Bluestamontes Blues Band, Black Cat Bone, Dodge Band e jams da época do La Prensa, são muitos.

Outra jam session de grande sucesso é a Olinda Blues Style, na Cachaçaria Virgulino, em Olinda, tambémpromovida pelo Recife Blues.

O projeto foi criado originalmente para ser a versão olindense do Recife Blues Sessions, e previa a participação dos mesmos músicos da rua do Bom Jesus, acrescidos de metaleiras (sopros) olindenses. As agendas não permitiram, e uma nova banda se formou, inicialmente mantendo Bluestamontes, Morcego e Gustavo, mas com a cozinha original de Arthur Azoubel e Bruno Andrade. Com a saída de Arthur, o baterista Júnior do Jarro assumiu as baquetas, seguido pela entrada de Marcílio Braz no baixo e Henrique Cobaia na guitarra. Nos metais, Marquinho Aranha no trumpete e Ibrahin Genuíno no trombone.

A Olinda Blues Style começou sua temporada exibindo o mesmo quadro negro e giz para os participantes, mas logo passou a tomar outros rumos, demonstrando uma característica maior de banda, e menos de jam session. A banda passou a se apresentar também em outros espaços.

As terças-feiras da Cachaçaria Virgulino costumam lotar de gente bonita no improvável horário das onze horas, e segue animada até o começo da madrugada.

Sim, o espaço é aberto para jam sessions dos musicos presentes, sempre, mas o principal diferencial é o clima de festa, público de pé, dançando e agitando com a banda.

É preciso citar que este sucesso das novas jam sessions de Blues vem também da experiência anterior de seus promotores.

Boa parte desta moçada envolvida hoje em dia, como Kco, Morcego, Marcílio, participaram de uma cena parecida que rolava no saudoso La Prensa em casa Forte há alguns anos, que lotava os Domingos com uma grande jam band que também recebia muitos convidados e estimulou o surgimento de novas bandas, e definiu os músicos que levariam a cena adiante.

Também, Rico Bluestamontes (Recife Blues Sessions e Olinda Blues Style) e Marcelo Demo (Handmade Blues), idealizadores destas novas movimentações, integravam a Bluestamontes Blues Band ao lado de Gustavo Albuquerque (Recife Blues band e Olinda Blues Style) que rodou os bares de Recife entre 2007 e 2009 tocando em formato de jam session, inventando músicas na hora e recebendo inúmeros convidados a cada apresentação, algumas lotadas, outras nem tanto, e algumas beirando o público inexistente.

O formato das apresentações da Bluestamontes Blues Band era exatamente o mesmo das novas jams na cidade, e foi o embrião para o surgimento deste novo modelo de jam.

Hoje, seja na Segunda, Terça ou Sábado, o certo é que as jam sessions em Recife e Olinda estão bombando e atraindo um público novo que antes disto não se interessaria pelos shows de Blues. Quem já fez parte da cena até então sabe muito bem que isto tem feito a cena sair de guetos específicos e eventos de bairro para os "mainstreans", conseguindo um bom espaço na mídia impressa e até mesmo influenciando as escolhas da onipresente verba de prefeitura em seus eventos de rua.

Se você gosta, esteja sempre junto!

AGENDA DE JAM SESSIONS


ROTEIRO BLUES
Recife Blues Sessions
Todas as Segundas
Local: Caravela's
Dia/Hora: Segundas/22:00hs
Endereço: Rua do Bom Jesus, Bairro do Recife
Entrada: R$5,00
Mais Infos: twitter.com/recifeblues

ROTEIRO BLUES
Olinda Blues Style
Todas as Terças
Local: Cachaçaria Virgulino
Dia/Hora: Terças/22:00hs
Endereço: Rua do Sol, Carmo, ao lado da PÇ do Fortim, Olinda
Entrada: Até 23hs R$5,00, depois das 23hs R$6
Mais Infos: twitter.com/recifeblues

Handmade Blues
Todos os Sábados
Local: Espaço Banquete
Dia/Hora: Sábados/22:00hs
Endereço: Rua do Lima, Sto Amaro
Entrada: R$5,00


*Apenas a agenda referente ao Roteiro Blues é de responsabilidade direta do Recife Blues. Todas as outras informações são de responsabilidade das bandas e casas envolvidas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário